Os tipos de Invalidez no Seguro de Vida

Diríamos que há dois grandes tipos de invalidez no seguro de vida do crédito habitação, e nos outros:

  • a invalidez absoluta e definitiva (IAD), a mais básica, em que a pessoa segura só está segura no caso de ficar totalmente dependente de terceiros para exercer as funções básicas da vida, mais vulgarmente descrita como estado vegetativo;
  • e a invalidez total e permanente (ITP), também em algumas companhias denominada por invalidez definitiva para a profissão, que pode ser dividida em dois subgrupos ao nível do tipo de invalidez e em vários ao nível da percentagem de invalidez:
    • a invalidez total e permanente para a profissão ou atividade compatível, significa que se a pessoa segura em caso de doença ou acidente ficar com uma invalidez superior a uma determinada percentagem o seguro é acionado e a divida ao banco é paga pela companhia de seguros;
    • depois há aquilo a que talvez se possa chamar “gato escondido com o rabo de fora”, que é a invalidez total e permanente para qualquer profissão, em que, como refere a descrição, a pessoa segura só pode acionar o seguro quando estiver incapaz de exercer qualquer profissão a partir de uma determinada percentagem!

Ora esta descrição é muito vasta e pouco especifica, restringindo muito o leque de possibilidades para que a cobertura possa ser acionada.

Por exemplo o seguro de vida que o Millennium bcp exige aos seus clientes de crédito habitação é o que tem a cobertura de invalidez total e permanente, só que é com a especificação de só poder ser acionado com uma percentagem de invalidez superior a 66% para qualquer profissão, será que se um engenheiro civil não poder desenvolver a sua profissão como responsável numa obra e poder dar consultas num consultório o seguro pode ser acionado? Não!

O seguro de vida no Millennium bcp, contratado na Ocidental Seguros, é mais caro que na maioria das companhias que fazem a invalidez total e permanente para a profissão ou atividade compatível com percentagens de invalidez entre os 60 e os 65%, e que se o cliente quiser mudar de seguro poupa muito dinheiro e melhora a cobertura. Como acontece no BCP acontece em quase todos os bancos, porque a maior parte deles fazem a invalidez absoluta e definitiva mais cara que a atrás referida feita fora do banco.

Ainda dentro da invalidez total e permanente para a profissão ou atividade compatível, é necessário estar atento à percentagem de invalidez, por exemplo o Santander Totta, tem duas percentagens, 75% se contratar normalmente e 65% se contratar associada a um crédito pessoal de 5 anos, que supostamente serve para prender o cliente ao banco e à seguradora pelos 5 anos. Embora seja esse o objetivo e alguns funcionários do banco refiram ao cliente que só pode mudar de seguro passados os 5 anos, não é assim, o cliente pode mudar de seguro sempre que queira e o crédito é desfeito.

A lei 222/2009 é muito clara na proteção dos direitos dos clientes, nomeadamente na liberdade do cliente poder escolher o seguro que melhor se adapta ao seu caso.

Se tem crédito habitação ou vai fazer, quer dizer que tem ou vai ter que fazer um seguro de vida para garantir o pagamento da casa em caso de morte ou invalidez.

Significa que o seu património fica salvaguardado, para si ou para os seus herdeiros e no caso da invalidez, se for bem escolhida, caso aconteça algum sinistro ou doença, esperemos que não, a casa pode ficar paga mesmo que não tenha uma invalidez total.

    SIMULE AQUI O SEU SEGURO DE VIDA DO CRÉDITO HABITAÇÃO:

    Fácil, grátis, sem compromissos e personalizado com as melhores condições

    Deixe o seu comentário

    Subscribe!