Custos com a transferência do crédito habitação

O crédito habitação é um dos produtos que mais interesse tem para os bancos, não só por haver em grande quantidade, logo com montantes totais e rentabilidades elevados,mas também por norma, ligar o cliente ao banco por um longo período de tempo.

E para além da rentabilidade direta com o crédito habitação, os bancos acabam por conseguir rentabilidade com outros produtos, como os custos de manutenção da conta ligada ao crédito, e os produtos associados, como seguros, cartões de crédito, poupanças, entre outros.

No entanto com a legislação a favorecer a livre circulação de créditos entre bancos, em que o cliente é livre de transferir o crédito habitação quando quiser sem ter de pagar mais impostos diretos por isso,o tempo de retenção de créditos pelos bancos tem vindo a diminuir significativamente.

Com o aparecimento dos então chamados “Consultores Financeiros”, hoje “Intermediários de Crédito”, há cerca de 20 anos,sempre que as taxas baixam, como é o caso atual, o fluxo de transferências de crédito habitação entre bancos aumenta significativamente.

Chega ao ponto de alguns bancos suportarem os custos todos de transferência, nomeadamente:

  • Abertura de dossier/ Comissão de Estudo

  • Avaliação do imóvel

  • Comissões de formalização

  • Comissões de preparação de Documentos

  • Serviço Casa Pronta ouActo (Documento particular autenticado) realizado fora do sistema casa pronta

  • Cancelamento de hipoteca

  • Penalização por liquidação antecipada no outro banco
Mas nem todos pagam tudo e há os que não pagam nada, antes de avançar com o processo deve ter bem esclarecido se vai ter algum custo e se vai, quanto!

Por exemplo a penalização por liquidação antecipada, varia entre 0,5% e 2%, sendo de 0,5% para créditos com taxa variável e 2% se a taxa for fixa, e por norma os bancos só pagam até 0,5%.

Alguns bancos só pagam uma determinada percentagem do valor da penalização sobre o montante a transferir e alguns só pagam parte das despesas.

No entanto não quer dizer que mesmo que tenha que suportar algum valor que não justifique realizar a transferência, pois uma poupança de 20€ por mês representa 7.200€ em 30 anos, por exemplo.

20€ nem é muito, pois só representa 0,3% de spread, num financiamento de 150.000€ a 30 anos.

Se tiver o seguro de vida no banco, então estas contas duplicam ou triplicam facilmente.

Imagine que tem que suportar as despesas e essas são 1.500€, se incrementar esse valor no crédito para não se descapitalizar, num financiamento 150.000€ a 30 anos, com uma taxa de juro de 1%, passaria de 482€ para 487€, ou seja 5€ na prestação.

Se conseguir reduzir 0,5% na taxa, com os mesmos pressupostos são 35€ mês, ou seja, uma poupança líquida de 30€ mês e 10.800€ nos 30 anos.

Outra situação que deve ter em conta, é que alguns dos bancos que suportam despesas, fazem-no por sistema de reembolso, ou seja, tem que adiantar o dinheiro e só depois da escritura é que o bancoo devolve.

Pode parecer complicado, mas não é, se tiver dúvidas envie-nos a sua situação clicando aqui, que faremos um estudo da sua situação sem custos ou compromissos

    Nome*
    E-mail*
    Telefone*
    Valor do Crédito
    Data de Nascimento
    Tipo do Crédito
    * Preenchimento necessário

    Leave a Comment

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *